sábado, abril 21, 2007

Raiva

Como já tive oportunidade de dizer, coincidentemente (ou não. Já diz a outra que nada é por acaso) vieram 2 pessoas para casa acusando burnout em função de cenas chatas no serviço.
Hoje falei com essa colega. Diz que passa o tempo a chorar.
Pelo meu lado só continuo a sentir raiva, raiva e mais raiva.
Mas porque será que, até nos momentos em que estou down, tenho dificuldade em me deixar levar ao ponto de permitir avalanche de lágrimas para que de uma vez por todas lide com a situação de outra forma?
Enquanto permitir que esta raiva me consuma, não evoluo...

6 comentários:

Maríita disse...

Eu penso que também tem que ver com a sensação de injustiça que estás a sentir. A raiva alimentada por essa sensação de injustiça não te permite chorar. Por outro lado, já te conheço o suficiente para perceber que esse choro em torrente, desse que a pessoa até parece que se afoga nas próprias lágrimas, é algo que só te permitirás quando a Kika não estiver presente. E ambas sabemos que a Kika tem estado presente. Resultado, talvez quando ela estiver na escola consigas.
Muitos beijinhos

Anónimo disse...

O sentimento de injustiça que estás a viver, nunca (nem eu acredito), mas quem sou eu!!! se tranforme em raiva!!! A revolta da injustiça contra todos e contra quem nos trata mal, acredita que mais tarde ou mais cedo vão "pensar"! És (para mim) uma grande mulher, não te deixes levar por raivas!!!! hà pimpolha é que deves explicações, aos que se acham os "qualquer merdas", nem merecem o n/ sentimento dem injustiçal, mais tarde ou mais cedo vão saber o que é um "filho da puta" de onde menos esperam!!!
Como já escrevi várias vezes, e o que li das divorciadas, "acho" mesmo que tem que existir algo que te encha essa alma saudavel, e que chores menos,apesar do choro ser uma das melhores formas que eu tenho de chamar.........muita gentinha!!! ó toura!!!! não há colinho não há palhços...!!!!
Rui Quick

Anónimo disse...

Peço desculpa pelo post tão grande.

Anne Marie disse...

Olá!
Então é assim (eu sou directiva)... talvez se essa raiva se transformar em choro, pelo menos ficas mais aliviada.
O sentimento de injustiça só desaparece qdo a situação se resolver. Sabemos tb que não serás tu ou a tua colega a resolvê-la, provavelmente, no caso do sr. em questão terá de ser alguém superiormente hierarquico.
Assim, como ficares TU melhor no meio disto?
Primeiro, qdo estiveres só, força o choro. Vê daqueles melodramas cheios de injustiça laboral, com filhos pequenos e mulheres fortes mas sós e por isso, momentaneamente fragilizadas (vou pensar em alguns títulos)... vê os filmes, chora, dorme. Acorda, arranja-te, vai para uma esplanada, mima-te... recupera as boas energias que estão adormecidas e durante este período, não penses em trabalho. Pensa nas coisas fantásticas que a vida te oferece mm assim. Mesmo com estes períodos negros...
... não sei... qdo eu entrei em queda livre, há 2 anos, sentia-me desesperançada... mas aos poucos, fui percebendo que tudo se resolvia... e o que nós não podemos mudar, não podemos controlar, não nos pode deixar de rastos... obriga-nos é ter uma nova visão e sentimento perante isso...
Sei que não é fácil, mas não estás só na amizade, tens imensas pessoas preocupadas, atentas, também muito certas que vais dar a volta à situação. Por cima!!!
Energia, ânimo!
Beijo grande! (e desculpa o km de comentário)

DIV de divertida disse...

MARIITA:
Também é uma verdade, sim senhora.

RUI QUICK:
Tás desculpado, ;)
Pois a vida encarregar-se-á de fazer sentir o que deve...
mas pelo caminho, nós é que nos lixamos...
(começo a pensar de nao serei de outro signo qq, daqueles que se fragilizam com facilidade...)

ANNE MARIE:
Sempre excelente a solucionar os problemas...!
Pois tenho mm de ir ao clube video e requisitar um daqueles de fazer chorar as pedras da calçada. Hoje vai dar ALICE, acho que vou começar por aí para ver se desbloqueio esta merda.


Aos 3 beijocas mtas e obrigada pela força. Obrigada mesmo.

migvic disse...

Hoje faltam-me palavras de coragem, mas... deixei-te um prémio no meu blog.