quinta-feira, outubro 11, 2007

Mais cena de pirralha

Um dia destes num corredor de um hipermercado, estava um senhor de raça negra a escolher um produto. Passei com a princesa sentada no carrinho de compras, eis senão quando, mesmo ao passar pelo senhor:
- Mamã, olha o preto.
Enfiei a cabeça no carrinho e fugi rapidamente sem sequer ter retirado o que queria. Que vergonha... Mas onde teria ela aprendido aquilo?!... Eu não uso esta expressão no meu vocabulário!
- Filha, isso não se diz. O senhor pode ficar triste! Não se diz o preto, diz-se "o senhor".
- Mas ele não é preto?
- É... mas isso não se diz. Olha ali (apontando para um senhor caucasiano). Quando queres falar desse senhor, também não dizes olha o branco, dizes "o senhor", não é?!
- Sim... olha, mas posso dizer o senhor preto?...
- Não. Não se diz olha "o preto", nem senhor preto, diz-se o senhor. Cada um tem a sua cor, percebes?
- Sim.

Dois corredores a seguir, onde eu não podia deixar de ir, estava um casal de raça negra a repor produtos nas prateleiras. Antes que ela me fizesse mais uma, deixa-a no carrinho no início do corredor e em passo apressado lá fui buscar o que necessitava. Só ouço a canuça a gritar:
- Ó MAMÃ!!!!
- Sim... filha... (a antecipar asneira e nova vergonhaça)
- OLHA O SENHOOOOR!!!!!!!!
Acho que descomprimi até à última partícula de oxigénio... Afinal a minha filha aprendera a lição. Tão linda...!

Hoje, nas filas das caixas de outro supermercado, estavam imensas pessoas, entre as quais um senhor de raça negra ao qual nem liguei obviamente. Às tantas:
- Mamã olha um senhor.
Olhei e vi um senhor caucasiano a meter-se com ela na brincadeira, sorri e virei-me.
Mas ela insistiu. Voltei a olhar para aquele senhor.
- Não mamã, olha o senhor ali (apontando para o negro).
Toca a olhar paar a frente com tentativas de lhe desviar a atenção. Vergonhaça!...

(Confesso que isto só me acontece porque se cria um racismo à volta da coisa mais estúpida que é o tom de pele, tanto do lado dos "brancos" como dos "pretos" e aquilo que mais me tranquiliza e reflecte maturidade e bem estar consigo própria é ouvir uma amiga de infância, preta, mas muito preta, brincar com a situação e ter durante toda a sua vida o máximo de respeito e carinho de quem a conhece).

2 comentários:

migvic disse...

Ò pai olha um macaco...

Pandora disse...

"Mamã, aquele senhor está todo queimado!"

lol
palavras para quê??