domingo, novembro 04, 2007

Disponibilidade ou falta de Assertividade?

Havia uma situação de adolescência e início de adultez que me deixava louca e furibunda:
- Sentir que os meus amigos nunca se empenhavam por fazer crescer a relação tanto quanto eu;
- Ter a noção que era sempre eu que estava disponível, enquanto eles, sem intenção quero acreditar, telefonavam ou promoviam encontros apenas quando eu deixava de o fazer.
Pudera eu estava sempre presente... nas horas boas e más, nos problemas e desesperos, no choro e na euforia... não dava espaço para que se lembrassem também de o fazer...
Mais parece que fazia os votos nupciais com eles: "na saúde e na doença, na alegria e na tristeza..."
Era a bombeira de serviço 24/24 horas.
(ok isto não se passava com todos, mas os autores destas façanhas punham-me louca e zangada)

Com o crescimento fui percebendo que de nada me vale exigir dos outros pelo menos o que lhes dou.
Eles não conseguem.
E... não têm de o fazer.
Cada um é como cada qual. Temos de respeitar.
Fui ficando menos zangada e deixei de enfatizar comportamentos que me levavam a arrepender do tempo, da disponibilidade e do espaço que oferecia aos outros.

No entanto, este fim de semana voltei a sentir-me assim, apenas porque continuo a mostrar-me SEMPRE disponível e sem capacidade de dizer NÃO, mesmo sentindo que permaneço uma "perna aberta" para os outros, prejudicando a minha vida.

Parece que não tendo marido e apostando na independência do meu tempo e espaço, será sempre mais fácil para mim estar à mercê, de uma hora para a outra, dos buracos que suas excelências arranjam para nos encontrarmos. Ora bolas!

Eu vou aprender a dizer NÃO!!! Ai isso é que vou! Dê por onde der!

4 comentários:

deKruella disse...

Eu às vezes também tenho essa sensação...que tou sempre disponível para quem só se lembra quando está só! E também ando fartinha...

Anne Marie disse...

Olá!
Just say NO!
É difícil ao princípio, mas olha... bardamerda! TU não és menos importante do que os outros. Por isso mesmo tem de existir um equilíbrio, senão é tudo estúpido e não faz sentido!
Força!
Na quinta redobramos as energias!!!
beijos! Fica bem!

Filipe disse...

:) Não somos todos iguais... o teu jeito de ser é assim mesmo... não ha mt a fazer! Mesmo q te decidas a agir da forma q os outros.. certamente que, mais cedo ou mais tarde, vais sentir-te mal/culpada por nao teres estado presente... nao teres ajudado... nao estares disponivel para...

Éh... mas pronto, dias ha em q sentimos isso de uma forma mais intensa... As pessoas sabem a quem recorrer... elas têm tanta culpa qt nós... se é verdade q elas so recorrem a nos naqueles momentos... tb nao deixa de ser verdade q sempre fomos mostrando disponibilidade para estar presente nesses momentos... certamente q, se assim nao fosse, nao iriam recorrer a ti! :)

Gi disse...

tantas vezes q m senti assim...tb tenho essa impressão,q a falta d cara metade nos torna as disponiveis pra todos os momentos...parece q prefiro entreter-m c a vida alheia,já q a minha d interessante pouco tem...e qd toda a gente está entretida a viver,eu faço o q?deprimo e sinto-m sozinha.compreendo-t perfeitamente...tantas vezes...a amizade pra mim é uma relaçao pra ser levada a sério,cm td.cm tdas as relaçoes,e cm n tenho mais nenhuma séria...parece q todas as minhas relaçoes sofrem do mesmo mal:falta d comprometimento da outra parte.seja na amizade,seja no amor...oh karma...