sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Passeio às vísceras

Pergunto-me constantemente porque será que o meu coração fica angustiado de quando em vez.
Dou comigo a olhar para trás como se já fosse verdadeiramente kota.
Faço silêncios prolongados. Penso, penso, penso.... em tudo e em coisa nenhuma.
Escrevo notas soltas sobre o que sinto. Levo o caderninho para todo o lado.
Que raio de energia nos guia...?
Que forças me transportam ora para a alegria ora para a solidão...?
E porquê...?
Não adianta trabalho interior. Sou cada vez mais um enigma. Quanto mais mexo, mais dúvida surge. Quanto mais sei, mais confusa fico pela descoberta de bloqueios à compreensão do básico. (Será básico?...)
Este ar de hiper segura torna-se a base de sustentação.

Pensando bem até sou segura (algumas vozes diriam que demais).
(Voz. Presença. Atitude. Que força é esta...??)
O nosso universo interno é que é infindavelmente surpreendente e infinitamente desconhecido... E chateia-me não o controlar nas suas múltiplas equações.

4 comentários:

antídoto disse...

ainda bem que assim é, senão seriamos uma espécie de marionetas de nós próprios. Gosto das surpresas emocionais...

migvic disse...

As mulheres não são todas assim ?...e vai piorando com a iadade

Kalinka disse...

A vida é só uma…breve ou longa, é uma incógnita!
Numa de minhas imagens recentes, mostro uma espécie de relógio que significa o «tempo», e ele é muito importante em todas as vidas. Perseguir e alcançar a felicidade é o sonho humano mais desejado, pois todos temos direito a um quinhão de felicidade.
Partilha comigo esta busca, perseguindo também a Felicidade.

Lamento não poder visitar este lindo espaço (blog) durante a semana, mas, a promessa de cá vir ao fim de semana mantenho-a.

Beijokas.

BOM CARNAVAL.

DIV de divertida disse...

ANTÍDOTO:
Tu gostas de acreditar no Pai Natal, ai gostas, gostas...

MIGVIC:
Dizem que sim...
Que triste sina a nossa...
Espera aí que me vou ali atirar para baixo do combóio.

KALINKA:
Tem mm de ser uma hora de cada vez. Eu bem digo.