quinta-feira, abril 19, 2007

Mescla de sentimentos

Já tive oportunidade de dizer que o meu objecto de trabalho são pessoas.
Se por um lado estou zangada, indignada, frustrada, irada, exausta e com necessidade de descansar e de pensar em mim, por outro lado ao fim do primeiro dia em casa, o meu lado brioso, começa a deixar-me com um sentimento de culpa porque ao assumir a minha fragilidade não estou desta forma a cumprir o meu dever como activa que é trabalhar, deixando de igual modo de ajudar pessoas que precisam de mim.
Bem sei que não estou bem e que também elas acabariam por ser "prejudicados", mas a capacidade de dizer não nestas circunstâncias é diminuta.
Não sei o que me dói mais...
Terei de trabalhar a minha dôr, mas também esta co-dependência.
Apesar de uma força que me invade motivada pela raiva, surge invariavelmente o desamparo.
Sinto-me pequenina, desprotegida e do tamanho de um grão de areia, sabendo que não posso estar nesse patamar para além dos momentos em que estou sozinha sem ninguém à minha volta.
Delicio-me com a ideia de um colinho onde possa ser eu mesma neste momento: frágil, desamparada, a precisar de cuidados, sem saber o que fazer, com medo e com necessidade de me entregar, como se de uma criança se tratasse.
Realidade impossível.

5 comentários:

issima disse...

Não sejas tão dura contigo.
Cuida mais e melhor de ti.

Afinal, deves-te isso, muito mais do que o deves aos outros, certo?

Coragem, querida...

quicktime disse...

Olá DIV, força mulher!! Então?? Percebo perfeitamente a última parte do teu post....um colinho!! tratem-me como pequenino.....às vezes faz mesmo muito faltinha... Vai para a frenet com muita força.. a pimpolha está em forma?
Bj
Rui QUICK

DIV de divertida disse...

ISSIMA:
"Não sejas tão dura contigo."
Dizes-me isso desde sempre...
Se calhar devo-me a mim muito mais comparavelmente com o que devo aos outros, sim.
Obrigada.

QUICKTIME:
:)... parece que percebes do que falo...
A pimpolha está bem. Evito ao máximo chorar ao pé dela, mas ontem numa consulta foi impossível.
Limpava-me as lágrimas e perguntava: "mamã, puque tu tás a cholale?"
Tadinha...

Maríita disse...

sabes que um grão de areia tem um poder enorme. Um grão de areia pode entrar numa concha e fazer criar uma pérola, essa pérola pode ser branca, redondinha e perfeita ou misteriosa cinzenta, de formas assimátricas, mas infinitamente interessante. Por isso, estou convencida que o grãozinho de areia que há em ti, vai dar lugar a uma pérola, irregular, cinzenta, brilhante.

Quanto ao colinho, fazemos intecâmbio pode ser?

Beijinhos bons

DIV de divertida disse...

MARIITA:
Pérola eu?!
ehehehe
sim, para os meus amigos sou valiosa...

Mais intercâmbio? qq dia basta-nos estar juntas em sil~encio para abermos exactamente o q a outra sente ou está a pensar... Xiça!